segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

EM 1940, ECLIPSE TOTAL DO SOL DENUNCIA MULHERES ADULTERAS NO INGÁ!

Hoje, em intervalo de aulas, conversado com um colega sobre fatos e acontecimentos recentes da história do município do Ingá, me veio à mente uma história que minha mãe contava que ocorrera em sua infância. Esse acontecimento tratava-se de um eclipse total do sol, que movimentou, apavorou e trouxe átona verdades indizíveis sobre a população do pequeno município.

O ano era 1940, e o momento fatídico do fenômeno astral se deu no dia primeiro de outubro.
De acordo com Flávio Antônio (2015), - Ponto de vista de um eclipse solar no nordeste brasileiro, simulado pelo programa Stellarium -. O eclipse Total do Sol teve início às 7h:35 - vai haver o primeiro contato da lua com o sol -. O eclipse total se deu As 8h:49 ocorre o momento em que a lua “apaga” totalmente a luz do sol. Esse momento durou cerca de 5 minutos. O desbloqueio da luz do sol pela lua, se dá totalmente as 10h:18.
Minha mãe contava que no momento que o sol foi totalmente envolvido pela lua, houve uma total escuridão. As pessoas precisaram acender os candeeiros e os galos subiram aos poleiros em cantos de madrugada. Houve um total desespero: uns gritavam que era o fim do mundo! Outros rezavam!
Mulheres, que até aquele momento se orgulhavam de sua conduta ilibada e de suas posturas honradas diante aos sagrados votos dos matrimônios... gritavam em prantos confessionais aos seus cônjuges, junto a suplicas de perdão pelo adultério cometidos por elas.
Toda essa confusão durou mais ou menos cerca de 3 horas.
E quando o dia raiou novamente as 10h: 18 da manhã, mulheres adulteras foras jogadas nas estradas por haverem confessado aos maridos sua culpa.
Homens traídos questionavam a paternidade de filhos amados!
No final de tudo o que restou foi a lição de que “diante da dúvida é melhor não falar nada”!




Nenhum comentário:

Postar um comentário