sábado, 22 de julho de 2017

AS ITACOATIARAS NA VISÃO DE CHATÔ!

Que a pedra do Ingá é um dos nossos maiores bens culturais, isso nem precisamos falar. Por si só ela se impõe, se justifica e transgredi muito daquilo que os simples mortais investidos de certezas e saberes acadêmicos tem a dizer sobre ela.
REVISTA CRUZEIRO, 22.04.1967

          Inscrita com os símbolos do mistério e investida com as vestes do conhecimento “proibido”, as Itacoatiaras ainda são parte daquilo que a humanidade ainda precisa conhecer e preservar.
FOTO DA REVISTA CRUZEIRO, 22.04.1967

          Nos últimos meses, realizando a pesquisa hemerografica (em jornais e revistas) do meu novo livro – Prostitutas, cangaceiros e coronéis em um Ingá que gira como carrossel de fogo! – me deparei com algumas matérias que traziam as riquezas, as belezas e a cultura do município do Ingá.
          Essas matérias foram publicadas, nada mais nada menos do que na mais importante e respeitadíssima revista da época, que era a REVISTA CRUZEIRO, de propriedade do empresário, e pai da comunicação no Brasil, Francisco de Assis Chateaubriand Bandeira de Mello, mais conhecido como Assis Chateaubriand ou Chatô, nascido em Umbuzeiro, PB.
IMAGENS DA REVISTA CRUZEIRO DE 22.04.1967



A matéria exibida na revista em 22.04.1967, fala sobre a importância da Pedra Lavrada para a arqueologia mundial, faz menção aos sulco insculpidos na pedra e sua suposta utilidade funerária, denuncia a depredação da Itacoatiaras por pessoas leigas e ainda a compara aos maiores monumentos da história da humanidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário