segunda-feira, 3 de abril de 2017

CONVERSA DE HISTORIADOR(ES)

Bom! Último sábado passado recebi a visita do então colega, e, agora amigo, o historiador professor Flaviano Maximus.
CRUZEIRO ENTRE OS DISTRITOS DE PONTINA/CHÃ DOS PEREIRAS, INGÁ -PB. FOTO: FLAVIANO 

Flaviano é Itabaianense, leciona no Estado de Pernambuco e está na busca, assim como eu, de escrever ou melhor, documentar a história da escravidão em sua cidade natal.
Ao saber pelas redes sociais da existência da minha pesquisa, ou melhor dos meus livros. Flaviano me contatou no face e os adquiriu.
HISTORIADOR/PROFESSOR FLAVIANO NA PONTE PRETA, INGÁ-PB  FOTO: ALEXANDRE FERREIRA
Depois da leitura dos escritos, ele quis conhecer a história em lócus, e, me perguntou se eu o acompanharia, eu disse que sim e marcamos para nos encontrar no Ingá em frente ao grupo velho. 
Traçamos um roteiro improvisado e partimos com objetivo de chegar a COMUNIDADE QUILOMBOLA DE PEDRA D’ÁGUA, localizada no município do Ingá, no entanto sem deixar de conhecer tudo que o percurso nos oferecia de cultura, história, arquitetura e belezas do lugar.
·         Paramos em Pontina, uma das localidades mais antigas e fascinantes do Ingá;



CASA EM ESTILO OU ARQUITETURA DE PINTURAS E PLATIBANDAS DO DISTRITO DE PONTINA, INGÁ-PB, FOTOS: FLAVIANO MAXIMUS

·         Seguimos em direção ao cruzeiro de Pontina/Chã dos Pereiras, um dos marcos religiosos do catolicismo do município;


CRUZEIRO DE PONTINA/CHÃ DOS PEREIRAS, INGÁ-PB. FOTOS: FLAVIANO MAXIMUS

·        
Registramos a presença das Lagoas Pleistocênicas que se espreguiçam paredão abaixo dos rochedos do cruzeiro;

LAGOA PLEISTOCÊNICA DE PONTINA, INGÁ-PB, FOTO: ALEXANDRE FERREIRA
·         Papamos para visitar a capelinha de Nossa Senhora do Rosário em Pontina, que foi construída pelos escravos em 1865;
CAPELA DE N.S. DO ROSÁIO DE PONTINA, INGÁ, PB

·         Em seguida fomos para a comunidade Quilombola de Pedra d’água.















ASPESTOS DA COMUNIDADE QUILOMBOLA DE PEDRA D'ÁGUA, INGÁ-PB, FOTOS: FLAVIANO MAXIMUS

·         Saindo de Pedra d’água, nos direcionamos ao município de Serra Redonda, cidade está que ainda conserva grande parte de seu casario;


CASARIO BICENTENÁRIO DA CIDADE DE SERRA REDONDA,PB, FOTOS: FLAVIANO MAXIMUS
Voltamos para o Ingá, e continuamos nosso roteiro:
·         Visitamos a Ponte Preta, construída em 1907;


PONTE PRETA DA LINHA FÉRREA DO INGÁ-PB
·         Visitamos a estação ferroviária do Ingá;

ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DO INGÁ-PB , FOTOS: FLAVIANO MAXIMUS

·         E por último, visitamos a Anderson Clayton, antiga usina de beneficiamento de algodão, instalada no Ingá em 1936.



USINA DE MELHORAMENTO DE ALGODÃO, ANDERSON CLAYTON DO INGÁ-PB. FOTOS FLAVIANO MAXIMUS


Meu colega, e agora amigo Flaviano, fique a vontade para nos visitar quando quiser. Pra mim, e pra qualquer outro ingaense que tenha noção do que é cultura e história... A HONRA EM RECEBER SERÁ SEMPRE TODA NOSSA!!!

Um comentário:

  1. Muito obg por me mostrar as belezas e histórias do Ingá. Sua escrita nos leva a vivenciar de forma agradável o passado. De forma didática vc nos presenteia com causos e histórias que enriquece no tocante a história local. A historiografia paraibana e ingaense acaba de ganhar livros que se tornam clássicos em referência à temática que até então era lacunar. Parabéns pelo resgate histórico. Não poderia deixar de conhecer uma parte da minha história também.

    ResponderExcluir