terça-feira, 21 de março de 2017

COM DINAMITES E GOLPES DE PICARETAS! ASSIM TRATARAM AS ITACOATIARAS DO INGÁ!



FOTO DO PAINEL CENTRAL DAS ITACOATIARAS DO INGÁ. FONTE: INTERNET

Existem coisas aqui no Ingá que não te disseram e você nunca teve coragem de perguntar!
Você sabia que lá nas Itacoatiaras do Ingá já existiu uma pedreira e que as inscrições rupestres Itacoatiaras do Ingá só não desapareceram graças a uma denúncia anônima de um cidadão Ingaense?
Você sabia que boa parte das pedras que calçam o centro da cidade do Ingá, tem a sua origem no Sitio Itacoatiara?
O descaso da administração pública com a pedra pode ser denunciado por meio do Oficio de nº 46/75, datado de 28 de abril de 1975, enviado ao prefeito do município do Ingá, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e artístico da Paraíba. Tal ofício tinha como objetivo paralisar os trabalhos de cantaria (situado no local das Itacoatiaras) para a fabricação de paralelepípedos destinados a construção do calçamento das principais ruas da cidade. Além de impedir a destruição total das Itacoatiaras, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico da Paraíba, multou a prefeitura em Cr$50, 000,00 (Cinqüenta mil Cruzeiros), por está destruindo, segundo o oficio, “Uma das maiores jazidas arqueológicas do mundo”.




WELLINGTON GOMES BARBOSA, PREFEITO DO INGÁ DE 1973-1975.

Além da depredação sofrida pelos trabalhos de cantaria dirigidos pela prefeitura municipal do Ingá, a pedra ainda sofria outras retaliações - por ser um lugar atraente, com árvores frondosas e distante da cidade – o monumento era constantemente frequentado por casais enamorados que sequiosos por “eternizar seu amor, escreviam na pedra declarações apaixonadas  à pessoa amada. Por exemplo: “Ricardo ama Graça”.

PEDRA DO SITIO ARQUEOLÓGICO ITACOATIARAS DO INGÁ, MARCA  PELA PRESENÇA DA PEDREIRA SE SE INSTALOU NO LOCAL NA DÉCADA DE 1970.

            As Itacoatiaras do Ingá são reconhecidas pela Secretaria do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, ou seja, se encontra inscrita no livro de tombo, cuja referência é: Folha 39; Nº de inscrição 234; Situação: Fazenda Pedra Lavrada; Município: Ingá; Proprietária: Francisca Morais Farias; Processo Nº 330/43 – caráter de tombamento: voluntário – data de inscrição 29 de maio de 1944.
DOCUMENTO DE TOMBO DAS ITACOATIARAS DO INGÁ


            Em agosto de 1977, as Itacoatiaras foram declaradas de utilidade pública, pelo decreto 7-338. Fato este que foi publicado pelo Diário Oficial da Paraíba a mando do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico paraibano.
DECRETO PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL DA PARAÍBA, TORNANDO AS ITACOATIARAS DE UTILIDADE PUBLICA EM  1977

         No decorrer da década de 1983-1989 - momento este em que o município do Ingá se encontrava sob a administração do prefeito Paulo Cândido da silva - o Sitio Arqueológico Itacoatiaras do Ingá passa a receber incentivos que possibilitem a visitação turística ao local.
PAULO CÂNDIDO DA SILVA, PREFEITO DE INGÁ DE 1983-1988

Existe um projeto para a exploração turística da cidade do Ingá – as Itacoatiaras – onde só foi feita até agora, a pavimentação asfáltica, faltando a conclusão do restaurante e salão de exposição. A prefeitura acredita que a PBTUR, SUDENE e Governo do Estado, juntamente com ela, dentre em breve, iniciarão as obras. (Revista do Fisco; 1985: p.75).
A partir daí a pedra não mais seria chamada de Pedra Lavrada. Atenderia por outro nome, mais fino, mais sofisticado e intelectualizado – Itacoatiaras. O Ingá não teria mais como única denominação, e não mais seria apenas conhecido como Ingá do Bacamarte ou terra do algodão. Mas daria lugar a outro Ingá – mais dinâmico mais moderno – “O Ingá da pedra”, “afinal, para o mundo que pouco sabe do Ingá, ele existe porque a pedra existe! ” (SORRENTINO; 1993; p.79).
Porém é (são) na (s) administração (ões) de Antônio de Miranda Burity (1989-1992/2001-2004/2005-2008) que as Itacoatiaras deixam de ser apenas timbre oficial do município e passa a representar uma esfera maior da população.
ANTONIO DE MIRANDA BURITY, PREFEITO DO MUNICÍPIO DO INGÁ TRÊS  MANDADOS (1989-1992/2001-2004/2005-2008).



Nenhum comentário:

Postar um comentário