quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Água: O racionamento que tá dando o que falar

Nos últimos anos, a população ingaense tem sofrido bastante com a falta d'água constante em suas residências.
As chuvas diminuíram drasticamente nos últimos cinco anos, diminuindo rapidamente o volume da barragem de Acauã( Argemiro de Figueredo ) na cidade de Itatuba que é o principal meio de abastecimento de Ingá e de cidades vizinhas. A barragem tem capacidade para 253.000.000m³, mas atualmente conta com 17.878.587m³ totalizando 7,1% da sua capacidade no dia 24/01/2017, segundo o site da AESA( Agência Executiva de Gestão de Águas do Estado da Paraíba ). Enfrentando racionamento há algumas semanas, a população de Ingá, está insatisfeita com a Cagepa que não vem cumprindo o cronograma divulgado, deixando a população sem água por mais dias que o combinado. Muitas pessoas usam às redes socias para expôr suas indignações, a senhora Esmeralda, residente no bairro da Bela Vista reclama que à água demora muito para chegar na sua casa por causa da localização do bairro que está em um local mais alto que o centro e o Jardim Farías por exemplo; outra moradora residente no bairro Ananias que fica localizado no local mais alto da cidade, reclama que à água não chega lá, e quando chega já é no último dia de abastecimento e é suspensa horas depois.
Em nota ao site AgoraParaíba a Cagepa comunicou aos usuários do sistema que: "Em razão do rebaixamento brusco do nível de captação no manancial de Acauã, que abastece o sistema integrado, e como forma de prevenir o colapso, está estalando uma captação alternativa com o objetivo de melhorar o abastecimento nas cidades atendidas pelo sistema". Uma nova escala de racionamento estaria sendo analisada e seria divulgada até à última segunda-feira (23).
O que não pode é deixar a população sem informação e sem água.
Foto da barragem de Acauã meses atrás.
Foto: Carlitos

Foto: Carlitos 

Nenhum comentário:

Postar um comentário