quarta-feira, 4 de abril de 2018

EM SEU NIVER O INGAENSE TOMA DE PRESENTE UM DOS GRANDES DO INGÁ: ZÉ GRANDE


Hoje, no primeiro aniversário de nosso Blog o Ingaense viemos a publica homenagear, em forma de reconhecimento, um dos grandes do nosso município.
Grande na altura, grande na bravura, grande no caráter... grande naquilo que ele soube melhor fazer durante o pouco tempo que governou o Ingá, ou melhor, urbanizou o Ingá.

Homem simples, porém, de muitos projetos, Zé Grande, como era conhecido o ex-prefeito de Ingá (1977/1981) pode ser considerado um homem a frente de seu tempo, visto que foram idealizados por ele projetos de criação de roteiros turísticos de visitação das Itacoatiaras e do município, loteamento e distribuição de terrenos, calçamento de ruas e saneamento de água...

Na pavimentação das ruas, na construção de obras públicas municipais, Zé Grande, sempre encontrava um tempo para ver de perto o andamento desses trabalhos.
Dentre as obras criadas pelo ex-prefeito José Claudino da Silva, podemos destacar:


·         O Brasão do município do Ingá foi oficializado pelo ex-prefeito José Claudino da Silva (1977-1981). Ele é usado como timbre nos papéis e documentos oficiais emitidos pelos vários órgãos que compõe a administração municipal, como também em fardamentos escolares, nos veículos pertencentes ao poder municipal e nos prédios públicos.


O Brasão é composto por um escudo de fundo verde, sob o qual traz escrito em letras amarelas, na parte superior, o nome Ingá. No centro do escudo vê-se um símbolo que faz alusão ao monumento Itacoatiaras do Ingá. Na parte Inferior do escudo, encontra-se escrito PB, ou seja, Paraíba, Federação a qual pertence o município do Ingá.
·         A Bandeira Ingaense, foi criada em 20 de maio de 1977, na gestão do então prefeito municipal José Claudino da Silva (Zé Grande), que através da Câmara de Vereadores, aprovou a Lei nº. 03, de 20 de maio de 1977, criando assim a bandeira oficial e o atual brasão do município do Ingá. Para compor a Bandeira, o seu autor, o professor Carlos Heriot Fernandes da Silva, buscou inspiração nas famosas inscrições rupestres Pedras Itacoatiaras do Ingá, detalhe este que se pode perceber no centro da bandeira. Além dessa particularidade pioneira de se utilizar um dos símbolos da Pedra Itacoatiara para representar o município do Ingá, a bandeira ainda traz, por meio de suas cores (azul, branco, verde e amarelo) e formas geométricas, uma aproximação estética com a bandeira Nacional.

·         Dia da Bandeira do Ingá - Ainda na administração do prefeito José Claudino da Silva (Zé Grande), através do decreto nº. 01 de 25 de abril de 1978 foi criado o Dia da Bandeira do Ingá. A partir deste decreto ficou instituído que no dia 02 de maio comemora-se o dia da Bandeira municipal do Ingá.
·         Hino de Ingá
Ingá, teu cruzeiro e marco de fé
Ingá, tua igreja representa o amor (BIS)
Ingá, estas firmes e sempre de pé
Relembrando o teu grande fundador (BIS)
Es cidade do tempo passado que envolve.
Os teus filhos de glória
Es cidade que tens no teu lado
Os sepulcros de saudosas memórias.
Letra e Música 1ª Sgt. José Maia do Nascimento
·         Hino da Bandeira do Ingá
Ó pavilhão
Estandarte querido
Por ser um povo unido que sempre te quis
Tua presença representa a glória
E nos lembra a história desta gente feliz
Simbolizas um povo altaneiro
Bravo forte hospitaleiro
Teu brasão tem uma história honrada
E nos fala da Pedra Lavrada
Monumento que Ingá apresenta
Com orgulho e amor varonil
Tuas cores alegres nos lembram
A bandeira do nosso Brasil
Ó bandeira de Ingá és um grito
Que ao longe irá escoar
Dos tropeiros herdaste um nome
Que os teus filhos irão exaltar
Recebei ó bandeira querida!
O amor desta gente a cantar
Que te elevem bem alto
E que sejas deste povo
A grandeza, o altar.
Letra de Maria de Jesus Pinto
A letra do Hino da Bandeira do Ingá foi composta pela professora Maria de Jesus que se inspirou em elementos caracterizadores da história do município, tais como a pedra Itacoatiara, os tropeiros que teriam dado origem ao povoamento do lugar, o patriotismo que é lembrado nas cores da bandeira do Ingá e a hospitalidade do povo ingaense.
Nós do Blog O Ingaense, em nosso aniversario de um ano de existência, escolhemos honrosamente homenagear o INGAENSE José Claudino da Silva (Zé Grande).
Lembrando que: “O homem de valor nunca morre. Seus exemplos e suas obras atestam a sua imortalidade”. (Hélder Sena de Sousa).

domingo, 25 de março de 2018

SORTE É TER VOCÊS COMO ALUNOS!


Nós, do Blog o Ingaense, viemos por meio desta nota, agradecer, e ao mesmo tempo reconhecer o empenho e a garra de 08 adolescentes Ingaenses, assim como tantos outros de nós, que por ESFORÇO E MUITA DETERMINAÇÃO conseguiram ser classificados no programa de Intercambio Internacional “Gira Mundo” do Governo da Paraíba.
Tais adolescentes, tratam-se de estudantes da Escola Estadual de Ensino Médio Luiz Gonzaga Burity, escola esta, que eu, e tantos outros meninos pobres da cidade saímos.
Abaixo podemos identificar o pais para os quais nossos alunos foram classificados no “GIRA MUNDO”.
FOTO DOS ALUNOS DA ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO MÉDIO LUIZ GONZAGA BURITY, CLASSIFICADOS NO "GIRA MUNDO". NA IMAGEM FALTOU O ALUNO DO ANEXO, ANDERSON TERTULIANO FERREIRA. IMAGEM: ALEXANDRE FERREIRA.

ARGENTINA:
·         Rennyson Santos da Silva
 ESPANHA:
·         Anderson Tertuliano Ferreira
·         Matheus Mendes da Costa Silva
 CANADÁ:
·         Elton Douglas Alves da Silva Inácio
·         David Alves Tranquilino
·         João Vítor Alves pontes
·         Caio Emanuel Ferreira de Moraes Silva
·         Bruno Luan Adelino da Silva
De acordo com o edital (http://static.paraiba.pb.gov.br/2018/01/Edital-N%C2%BA002.2018-PROGRAMA-GIRA-MUNDO-ESTUDANTE.pdf) que rege as normas e as regras de seleção e inclusão de alunos da Rede Estadual de Ensino no programa, tais educandos, entre outros aspectos devem estar:
2.1. Os requisitos comuns necessários para o aluno participar do processo seletivo são os seguintes:
a)Ter no mínimo 14 anos de idade até o dia primeiro de julho de 2018 e no máximo 17 anos até o dia primeiro de julho de 2018;
b)Ter cursado o primeiro ano no ensino médio regular, normal médio, semi-integral, integral ou médio integral integrado à educação profissional das escolas públicas da rede estadual de ensino da Paraíba em 2017;
c) Estar regularmente matriculado no segundo ano do ensino médio regular, normal médio, semi - integral, integral ou médio integral integrado à educação profissional das escolas públicas da rede estadual de ensino em 2018;
d) TER OBTIDO, ao longo do primeiro ano do ensino médio, a FREQUÊNCIA MÍNIMA DE 85% (oitenta e cinco) nas aulas regulares da escola de ensino médio em que esteja matriculado;
e) TER ALCANÇADO A MÉDIA MÍNIMA DE 7,0 (sete) pontos no desempenho acadêmico escolar na disciplina de Língua Portuguesa, Língua Inglesa e Matemática no primeiro ano do ensino médio.
            Gostaria aqui e externar todo o orgulho, que nós professores sentimos de vocês!
           


segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

Turismo: Visita Técnica à Comunidade Quilombola Pedra D'água


    Ontem, 25/02/2018 foi dia de Visita Técnica à Comunidade Quilombola Pedra D'água. Empenhado em desenvolver o turismo no local, o SEBRAE desde o ano passado vem tentado fazer com o que o Vale do Paraíba seja reconhecido como um lugar turistico e empenhou às cidades da área a eleborarem seus planos turísticos e criou o Forum de Turismo do Vale do Paraíba tendo total apoio do Sebrae e do Banco do Nordeste para que a área possa se desenvolver. Com vários planos turísticos criados pelas Secretarias de Turismo e Associações como é o caso do Caminhos das Itacoatiaras na nossa cidade, também foi criado Os Caminhos dos Quilombos, o qual pertecem Comunidades Quilombolas de cidades como Gurinhém e Ingá. Hoje estivemos com uma turma compostas por Condutores de Ecotrilhas e "curiosos" ( os primeiros turistas levados pelos condutores à comunidade ) para um levantamento dos possíveis pontos onde os turistas possam ir e também conhecer um pouco  da cultura local, os cotumes, às tradições, os festejos, às comidas típicas... Enfim, se apaixonar cada vez mais por esse pedacinho de terra que nos trás tantas recordações e nos faz se encantar com tanta beleza. Aconselho a todos irem conhecer um pouquinho desse povo tão caloroso e receptivo. Você não vai se arrepender! 
     Para mais informações entrar em contato comigo, Carlos Pontes condutor de turismo.
Contatos:
WhatsApp: (83)993734081
Página no Facebook: @ingapbfotos
Instagram: @carls_pontes

#OValeSurpreende
#CaminhosdasItacoatiaras
#CaminhosdosQuilombos














domingo, 25 de fevereiro de 2018

JACIARA: A fada do Saber


No atual contexto sócio-político no qual o Brasil se encontra, nada mais comum do que desacreditar de tudo e de todos. Afinal no país onde o “jeitinho brasileiro”, a bunda, o carnaval e o futebol “nos representam”, o que deveríamos esperar?
Calma!  Nem tudo nesse país é falcatrua, roubalheira ou desonestidade. Nem tudo estar sob o controle de políticos desonesto e “cidadãos alienados. Afinal, o que seria do futuro desta nação se esperássemos pela pouca vontade de alguns “líderes políticos” que só lembram da população em tempos de eleição?
Ainda bem que nem tudo é lama no pais do carnaval.
Aqui ainda existem pessoas com o senso de correto e que acreditam em dias melhores. O bom de tudo isso, é que nem precisamos ir muito longe para encontrarmos gente, onde a generosidade, o desprendimento e a vontade de mudar o mundo é bem maior que a força destrutiva que parece ter tomado conta da nação.
Em um pais onde os professores reclamam de seus salários, e o rendimento escolar dos alunos é baixíssimo como comprovam os índices oferecidos pelo Ministérios da Educação!
Em uma nação onde a merenda escolar é remediada ( quando não estar em falta) e muros e tetos de escolas desabam... Encontramos a FADA MADRINHA do saber, do bem fazer e da boa vontade.
Dona Jaciara - Foto: Alexandre Ferreira
Dona Jaciara transformou a sua casa em um lugar onde a leitura e a fantasia são elementos fundamentais para quem quer visitar o lugar.
Dona Jaciara Vieira de Castro não é professora, e  mesmo assim, tendo consciência de seu papel como cidadã, sentido que precisava ajudar as crianças a descobrirem o gosto pela leitura, transformou sua casa, onde vive com seus filhos e esposo em um Conto de Fadas que chama a atenção de quem passa pela rodovia 095, não deixando o passageiro, mesmo sem parar, ileso aos encantos e magia do lugar.
Situada a mais ou menos 3 quilômetros da cidade de Serra Redonda, a Chácara do Saber chama a atenção dos transeuntes que circulam na rodovia 095 que liga o município de Serra Redonda a BR 230. Foi nesse vai e vem das rodagens que o mês passado visitei o lugar e tive oportunidade de conversar com a educadora/missionaria Jaciara.


Vista da Chácara do Saber   - Foto: Alexandre Ferreira


Jaciata: Meu nome é Jaciara Vieira de Castro, tenho 57 anos. Sou soteropolitana, da cidade de Salvador, Bahia. Sai de Salvador e fui para o Rio de Janeiro e depois me mudei para car. Estou aqui em Serra Redonda a 18 anos. Não sou professora, sou missionária. Sou cristã. E estou aí em campo desenvolvendo um trabalho com a leitura porque acredito que o conhecimento humano pode se dar por meio da leitura. E a importância da leitura na vida do cidadão, muda o quadro da história.
O Ingaense: Quais foram as mudanças que a senhora percebeu na postura das pessoas do lugar, com a implantação do projeto?
Pormenor da Chácara do Saber- Foto: Alexandre Ferreira
Jaciata: Visivelmente, eu não vou ser nem hipócrita dizer... a gente sabe que a leitura é algo que encontra muitos obstáculos e resistência por parte das pessoas quando há propostas de inclui-la como algo significativo em suas vidas. No entanto, o que eu percebo do trabalho que estou desenvolvendo aqui, junto com a minha família, é que há sim mudanças no hábito de leitura de um público infantil/adolescente aqui da região.
            A Chácara do Saber se configura como um Projeto de espaço de leitura. Eu, particularmente, não me vejo como promotora de leitura. Apesar de ser contadora de história... eu facilito os educadores terem um espaço de promoção de leitura.
A minha casa foi totalmente adaptada e ambientada com esse intuito: o intuito de promover leitura.
Aspecto da Chácara do saber - Foto: Alexandre Ferreira
E...eu ainda tenho outros pontos de leitura fora da minha casa porque eu acreditei que as pessoas estavam tendo alguma dificuldade para vir até aqui a Chácara do Saber, por  esta se localizar na zona rural. Então partindo desse pressuposto eu criei outros pontos de leitura, descentralizando o projeto Chácara do Saber – levando leitura para outros pontos da cidade.
Dona Jaciara nos mostrando a Chácara do saber - Foto: Alexandre Ferreira
Na cidade de Serra Redonda, nós já temos três pontos de leitura que não é a geladoteca. A geladoteca é apenas para quem transita na PB095.  O sitio do Saber é para quem quer se entrosar mais com a leitura e com um ambiente lúdico onde a fantasia se mescla de realidade.
Na cidade nós temos a TVteca - televisões ornamentadas, decoradas, que são pontos mais informatizados, onde as pessoas que querem podem se envolver mais e de forma não tradicional com a leitura.
Dona Jaciara - Foto: Alexandre Ferreira
Temos outro projeto, como parte anexa do Projeto Chácara do Saber – o Provocando, o qual se desenvolve principalmente dentro dos ônibus, onde nós pedimos licença ao motorista e distribuímos livros para os passageiros.
Nós do Blog o Ingaense agradecemos a Dona Jaciara e toda a sua família pela iniciativa e pelo empenho em dar exemplo e mostrar que quando agimos em prol de um bem comum, ganhamos todos.


sábado, 30 de dezembro de 2017

EU HUMANO



Somos nós!
O passado pulsante, vivente e latente no presente!
Somos nós aqueles que não mais existem...
Que deixaram de ser
 Mas não de existir!

Nós somos a soma,
A mistura a bagunça,
A embriagues
E a festa do DNA  humano
Eu individuo, construído por vários outros eu’s ...

Tantos outros eu’s...

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

O QUE É QUE ELES TEM QUE NÓS NÃO TEMOS? Vejam como ações simples salvaram o patrimônio ferroviário e instigaram cultura e educação!

Hoje no Ingá fala-se muito em turismo, visitação turística... Ganhar dinheiro com a atividade... Tudo certinho até aí... O grande problema quando “levantamos” essa bandeira é que: Temos muito e apresentamos pouco.... Temos muito e valorizamos quase nada.... Temos muito, mas o comodismo nos cega e o ego inflado não nos deixa perceber que “as certezas – as vezes – nos atrapalham mais do que as dúvidas"! 
Esse é o caso da Estação ferroviária do Ingá, que há muito, nós do Blog o Ingaense chamamos atenção da população, da sociedade civil, e das autoridades instituídas, constitucionalizadas e “competentes” para o abandono que há, alguns anos vem corrompendo e destruído a sua história, juntamente com tudo aquilo que ainda há de concreto sobre ela.

ASPECTO ATUAL DA ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DO INGÁ,PB - Foto Alexandre Ferreira

Lembrar que a Estação é parte viva do patrimônio cultural e da memória coletiva da população ingaense, isso é chover no molhado...
Não colocar em foco. Não valorizar... E não preservar essa parte da história do município do Ingá, é no mínimo burrice... E, tudo que se diga ao contrario sobre sua preservação. Ela estará lá –ainda e por enquanto está – para provar, que como velha (porem cheia de histórias e memória) foi esquecida pelos seus filhos.... Foi agredida, alvejada, cuspida e cagada (literalmente) ... Deixou de vestir cambraia fina... hoje ostenta a mulambeira!
APECTO ATUAL DA ESTAÇÃO FERROVIARIA DO INGÁ,PB - Fotos: Alexandre Ferreira

Há muito o pesquisador Campinense, Jonatas Rodrigues Pereira busca por meio de seu blog e de suas redes sociais denunciar o abandono que vem sofrendo as Estações Ferroviárias do Estado da Paraíba. De fato, é triste ver aquilo que no passado serviu para integrar e aproximar pessoas, se desintegrado pelo abandono.

PESQUISADOR JÔNATAS RODRIGUES PEREIRA - Foto: faceboock

Apesar do abandono das estações ferroviárias da Paraíba parecer seguir uma regra, isso não torna esse fato imutável. Basta ver o exemplo que nos deu a cidade de Duas Estradas, na microrregião de Guarabira, que com recursos próprios, recuperou do abandono o Antigo Prédio da Estação Ferroviária de seu município.
ESTAÇÃO DE DA CIDADE PARAIBANA DE DUAS ESTRAS, ANTES DE SER RESTAURADA E RECUPERADA PELA PREFEITURA MUNICIPAL - Foto Jônatas Rodrigues Pereira

O prefeito municipal preferiu agir, trabalhar e recuperar aquilo que lhe era de direito: sua história, seu patrimônio, sua memória...
É assim que agem os sábios. É assim, dando exemplo que se educa as crianças e se dignifica e se controi um povo!
Fazendo minhas as palavras do pesquisador Jonatas Rodrigues Pereira: Parabéns a Prefeitura Municipal de Duas Estradas-PB pela recuperação e revitalização deste lindo e importante patrimônio histórico. Fico imensamente contente com a preocupação de administradores que valorizam sua cultura e história. Exemplo para outras cidades da Paraíba que deveriam olhar mais para sua cultura genuína e história e não destruí-la”.


PREFEITURA DE DUAS ESTRADA,PB DEPOIS DA RECUPERAÇÃO REALIZADA PELA PREFEITURA MUNICIPAL - Fotos: Romário Farias

A realidade nua e crua é que não se tem feito nada para mante a antiga estação ferroviária do Ingá em pé.
Porque será?
 Porque um prédio centenário, com uma importância histórica tão singular para o município continua abandonado, depredado, marginalizado... descartado do interesse de pessoas que deveriam no mínimo questionar sobre o assunto?
Como exemplo que deve ser seguido, lembremos aqui também:
“O Museu Ferroviário de Curitiba, localizado no Shopping Estação, abriga mobiliários e peças que colaboram para o resgate histórico da memória ferroviária no Paraná, que se iniciou em 1885 com a inauguração do trecho entre Paranaguá e Curitiba.
ESTAÇÃO FERROVIARIA DE CURITIBA, PARANÁ, RECUPERADA E TRANSFORMADA EM MUSEU. - Fotos Google

Inaugurado em 1982, o espaço possui a arquitetura da antiga Estação Ferroviária de Curitiba. Com mais de 600 peças, o acervo do museu é único por possuir itens curiosos, como um grande livro utilizado para a contabilidade da antiga estação. Além disso, há relógios, telefones e telégrafos que eram utilizados no local e objetos do interior dos trens, como bagageiros, fechaduras e luminárias da época.
O espaço ainda possui uma locomotiva a vapor em exposição. Vale a pena aproveitar a visita pra dar uma volta pelo Shopping Estação, comer e beber alguma coisa”. (http://ckturistando.com.br/museu-ferroviario-de-curitiba/, acessado em 12.12.17).
ASPECTO DA ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DE CURITIBA - Fotos Google

Ainda, não podemos deixar de lembrar, e parabenizar a prefeitura municipal de Araçai, pela preocupação em manter viva a sua memória cultural e patrimonial. Pois foi finalizado este ano (27 de outubro de 2017) o projeto de restauração e conservação da Estação ferroviária do Município de Araçai. Agora totalmente restaurada, a estação vai abrigar o centro de cultura e turismo do município.
ESTAÇÃO FERROVIARIA DE ARAÇAGI, MG, RECUPERADA E TRANSFORMADA EM CENTRO CULTURAL - Fotos: Google

 De acordo com o site(http://www.cordisnoticias.com.br/2017/11/finalizada-restauracao-da-estacao.html), O projeto contou também com o apoio da Prefeitura Municipal de Araçaí e dos habitantes da cidade cuja relação com a estação ferroviária passa sempre pela ideia de pertencimento à história que a edificação representa, além do reconhecimento do valor estético que uma edificação dessa natureza agrega ao entorno ao qual está inserida, devido à sua bela arquitetura bem detalhada e imponente.
ASPECTO DA ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DE ARAÇAI,MG, RECUPERADA, PELA ´PREFEITURA E OUTROS PARCEIROS CULTURAIS- Foto Google

Porque a Estação do Ingá não seguiu o exemplo da protegida e restaurada Estação de Duas Estradas, PB?
Porque a Estação de Ingá não é um Centro Cultural como o da cidade mineira de Araçai?
Porque será que ela não virou museu, e nem tão pouco biblioteca, assim como a de Curitiba, no estado do Paraná?
A grandeza de um povo se mede pelo grau de entendimento que ele deve possuir de si próprio e dos coisas que o rodeia...

Salve a nossa história!